Pesquisar este blog

Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores

terça-feira, 26 de abril de 2011

3DS StreetPass: a experiência e os melhores lugares para usá-lo

A cada determinado período de tempo que passa a Nintendo sempre inova e lança moda. Há não tanto tempo, para ser mais sucinto, a novidade foi o primeiro video game com formato inusitado: o GameCube, que tem sua forma esquisita de cubo.
Na sequência, alguns anos mais tarde, foi lançada o que tanto os gamers mais antigos quanto os mais novos sonhavam: a jogabilidade por movimento. Exatamente, foram os controles que respondiam diretamente à “barra sensora” do Wii, no qual os movimentos eram lidos e reproduzidos em tela.

 
A novidade da vez? O 3DS é claro! A pequena plataforma portátil, que conta com projeção gráfica em três dimensões, revolucionariamente sem a necessidade do uso de óculos especiais. Claro que ainda tem seus problemas, não é nada que já tenha aperfeiçoado completamente esta nova técnica. Mas convenhamos que é um equipamento de vanguarda. Não obstante, um sistema periférico do novo console da Nintendo, que traz um novo conceito de interação é o “StreetPass”.




O que é isso? Nada mais é do que uma função que permite a troca de informações sobre games, perfis, localização, recordes e o que mais os usuários desejarem, toda vez que um Nintendo 3DS se aproxima de outro, seja passando na rua, ou apenas chegando próximo de amigos. Há também o SpotPass, que tem uma serventia muito semelhante, porém funciona somente quando conectado à internet.

                                                             StreetSpotPass 
                                                   Esclarecendo cada um dos dois

A função StreetPass serve, basicamente, para trocas locais. Ou seja, se você anda com seu 3DS na rua, mesmo em modo de dormência, e de repente cruza com alguém que porte outro 3DS (lembrando que os dois precisam estar com a opção wireless ativadas). Um video game mandará o Mii de um aparelho para o outro, e vice-versa, podendo que alguma mensagem esteja anexada ao personagem (uma saudação, por exemplo).
Mas essa é apenas a maneira mais básica de se usar esse utilitário. Uma funcionalidade dentro dos jogos é que diferentes partes dos dados podem ser trocadas, desde que um usuário tenha um save de um determinado game, e outra pessoa que passe por perto tenha também tenha um do mesmo jogo.



Por exemplo, em Nintendogs + Cats, caso um jogador cruzar alguém com o progresso salvo, os cachorros podem ser compartilhados. E quando você abrir novamente o jogo, seu cachorro estará brincando com um novo cãozinho. Também serve para ajudar a habilitar diferentes tipos de conteúdos bloqueados, como os diferentes brinquedos para os animais.
SpotPass — por outro lado — é tudo isso, só que online. Ao invés de fazer o download de dados de outro 3DS, baixa-se o conteúdo diretamente da internet. Por exemplo, você pode colocar seu video games na plataforma de carregamento por uma noite, e quando você acordar de manhã o console pode ter feito o download de um novo upgrade, ou novos conteúdos extras de um jogo.

Img_normal


Um exemplo perfeito dessa funcionalidade é Dead or Alive Dimensions, que terá 28 trajes para download, de graça. Uma vez que o seu 3DS tenha conexão Wi-Fi, e o wireless estiver posicionado no modo ligado, todos os dias ao amanhecer é bastante provável que novos conteúdos tenham sido baixados. Existem as notificações no menu do aparelho, e quando os jogos são religados as modificações são colocadas automaticamente.
Resumindo, basicamente StreetPass é para relações locais, nas quais há troca de dados com outras pessoas com o 3DS em mãos. Enquanto o SpotPass é sobre baixar da internet os conteúdos extras e DLCs wireless enquanto o portátil estiver no modo espera.

Jogos e limites

O StreetPass tem limitações também. São doze softwares que podem ser usados por vez. Notem que foi dito softwares e não games. Para sistemas compatíveis com a funcionalidade de trocar dados na passagem, como 3DS Sound e Mii Plaza, são reservados doze lugares (slots). Esse número realmente não soa muito pouco, uma vez que leva questão de segundos para transferir informações com a vizinhança.
Também é válido notar que cada game que possui suporte para StreetPass, possui uma pequena parte dedicada, a qual pode ser acessada para verificar se há alguma novidade recebida. Os doze locais só vão se tornar um problema caso os jogadores tenham uma quantidade muito grande de jogos que usem desse sistema, e, ainda, se os jogos saírem focando tanto essa função de intercâmbio quanto a Nintendo espera.



O jogo mais comentado atualmente com o uso do sistema é Super Street Fighter IV 3D Edition — no modo de figurinos para batalha — no qual os players podem lutar uns contra os outros, ou mesmo assistir uma luta, usando o StreetPass. Infelizmente, o aguardado The Legend of Zelda: Ocarina of Time 3D não trará possibilidade de troca de dados.

Melhores lugares para usá-lo

Vai ser muito, mas muito difícil acontecer de uma pessoa estar caminhando nas ruas do nosso querido e amado Brasil, quando sem mais nem menos seu Nintendo 3DS sinalizar, com sua luz verdinha, o recebimento de dados de outro usuário, que por coincidência estava passando no mesmo lugar que você, com o aparelho no bolso. Porém não percam as esperanças ainda, caros portadores de 3DS.
Na rede social Facebook há a página oficial do “Nintendo 3DS StreetPass”, na qual as pessoas descrevem e compartilham suas experiências de uso do game, quantos conseguiram mais hits, aonde está sendo mais comum encontrar outros jogadores. Além de a Nintendo aproveitar para divulgar material sempre fresquinho das novidades do seu portátil.

  

No dia 28 de janeiro do ano passado, foi aberto em Tóquio, no Japão, um bar com a temática de Dragon Quest. Como não poderia ser diferente, o lugar se chama Luida´s Bar, que é exatamente o nome do lugar em que os jogadores se reúnem para recrutar aventureiros para suas peripécias e viagens. Os quitutes e a bebidas são todos customizados, em relação aos jogos da franquia, sendo o maior atrativo um bolinho em formato de Slime (aquela gotinha azul que é um dos símbolos da série)





Por enquanto as melhores pedidas para os usuários do 3DS usarem suas funções de compartilhamento e interação, ainda são os shoppings. Mais garantido mesmo seria por encontros previamente agendados, como “reuniões” de jogadores. O que já está começando a se tornar uma realidade no Brasil, visto que algumas tentativas de juntar os jogadores já foram feitas em São Paulo e no Rio de Janeiro. Se a moda pega por aqui, é certo que existirão alguns lugares certos para encontrar outros gamers. Talvez, sendo mais otimista, algum café ou lanchonete, quem sabe, pode estruturar e promover um encontro de 3DS. Da mesma forma que alguns campeonatos são organizados, a exemplo “Treta Championship”, realizado em Curitiba — tendo a participação de mais de 64 jogadores, e premiação de dois mil reais para o vencedor.





Uma bela iniciativa para reunir jogadores é a que foi iniciada pelo site StreetPass Brasil. O grupo disponibiliza um servidor no qual as pessoas podem divulgar e organizar seus encontros, em quaisquer cidades do Brasil. Uma vez que é bastante difícil achar quem tenha 3DS, como eles mesmos postam, esse fórum visa facilitar que o usuário consiga explorar ao máximo o potencial do portátil.

                                                               Mais um tempo 
                                                   Que logo o panorama melhora

No Brasil, a questão tributária é um dos grandes empecilhos para a maior propagação dos consoles e jogos. O alto preço torna as plataformas pouco acessíveis, principalmente as portáteis. No caso do 3DS, ainda tem o fator de que foi lançado há muito pouco tempo. Mesmo nos demais países, a difusão está acontecendo agora. Está crescendo o número de jogadores gradativamente.
Recentemente, um jornalista de um site australiano pegou seu video game portátil da Nintendo, e partiu em uma busca por 50 “hits” através das ruas de Sidney. O prazo combinado era de um dia. Depois de percorrer por inúmeras estações de trem, lojas de games, fliperamas, lanchonetes e shoppings, a cansativa jornada rendeu ao repórter 43 novos Miis.

 

Assim sendo, vive-se uma fase na qual é necessário um pouquinho mais de paciência. Pelo menos até que o console se popularize um pouco mais aqui em nosso país, para começarem a aparecer os encontros e as reuniões. É sempre bom ser otimista e torcer por uma queda na taxação dos impostos também, o que tornaria muito mais fácil o acesso a todas as pessoas. Já imaginou se um dia você saindo de casa pela manhã, e até a hora do almoço consegue quase completar um puzzle inteiro de peças?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Total de visualizações de página